Tempero baiano em peça diabólica

Tempero baiano em peça diabólica

Ricardo Castro é um pianista notável, magnífico. A frase é de Claude Chabrol, amante e conhecedor da música clássica. Nunca faltam os grandes compositores em seus filmes. Também nunca um instrumentista brasileiro esteve nos créditos de sua obra. O baiano Castro, 35 anos, recebeu um telefonema do cineasta francês no início deste ano, em sua casa na Suíça, onde está radicado desde 1984. Era o convite para Merci pour le Chocolat.